Alimentação

Contaminação cruzada: Não tenha esse problema em sua cozinha

Com certeza você faz de tudo para proteger suas famílias contra doenças que têm como causa micro-organismos, não é mesmo? Mas será que você não deixa escapar nada de errado que acabe causando uma contaminação cruzada ? Fique sempre atento!

Antes de qualquer coisa é válido ressaltar que a transferência de micro-organismos causadores de doença aos alimentos pode ser o problema para inúmeras Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs), sendo que algumas são bastante graves.

Essas DTAs acontecem por causa da presença direta dos micro-organismos nocivos ou  por conta das toxinas que são produzidas por alguns. Em relação aos sintomas dessas doenças, eles variam de acordo com cada pessoa.

Os mais comuns são: Vômito, diarreia, febre e dor de cabeça. Na verdade, o nível desses sintomas e a gravidade da doença que variam bastante. Tudo isso de acordo com a saúde, a idade, dentro outros fatores.

Quer saber como prevenir essas Doenças Transmitidas por Alimentos e, consequentemente, a contaminação cruzada? Continue lendo o artigo e tome alguns cuidados necessários!

Mas, afinal, o que é contaminação de forma geral?

Primeiro é importante que seja definido o que é contaminação. Contaminação é qualquer substância, objeto ou organismo indesejados no alimento. Há dois tipos possíveis de contaminação, a invisível e a visível. Saiba mais sobre cada uma delas:

1 Contaminação invisível

É a contaminação causada por micro-organismos ou substâncias químicas como, por exemplo, desinfetantes, agrotóxicos ou até mesmo resíduos de metais. Todos são invisíveis a olho nu.

2 Contaminação visível

Em contrapartida, a contaminação visível é causada por coisas visíveis, como o próprio nome já diz. Alguns exemplos desse caso: terra, fio de cabelo, inseto, entre outros.

É importante lembrar que os micro-organismos estão por toda parte – no ar, no solo, no corpo, nos utensílios, nas superfícies, nos próprios alimentos, principalmente os crus – e que alguns deles não são perigosos à saúde. Muito pelo contrário, alguns são até benéficos e indispensáveis para a produção de alguns alimentos como cerveja, vinho, iogurte e alguns queijos.

Já os micro-organismos nocivos são conhecidos como patogênicos e podem causa inúmeras doenças, inclusive a morte. Por isso uma dica é sempre cozinhar os alimentos. Esse ato é capaz de destruir a maioria desses micro-organismos e, com isso, é um ótimo meio de conservação. Além de deixar os alimentos mais saborosos e macios, é claro.

No entanto, o calor não é capaz de acabar com muitas das toxinas que já foram produzidas pelos micro-organismos nos alimentos!

Leia também: Manipulação de alimentos, ela interfere na contaminação dos alimentos?

E a contaminação cruzada?

Considerada um tipo de contaminação, a contaminação cruzada é quando um alimento que já estava contaminado com micro-organismos patogênicos transfere essa contaminação para outros alimentos. Ela pode acontecer de dois tipos diferentes: Contaminação cruzada direta e contaminação cruzada indireta:

  • Contaminação cruzada direta: Acontece quando um alimento contaminado transmite os germes para outro alimento;
  • Contaminação cruzada indireta: Nesse caso, o alimento entra em contato com superfícies contaminadas. Estas superfícies podem ser: Pias de cozinha, utensílios de cozinha, mãos mal lavadas, entre outras. Basta um contato mínimo para que o alimento seja contaminado.

É importante pontuar que existe também outro tipo de contaminação cruzada, ela ocorre quando traços, ou seja, resíduos microscópicos, de proteínas do leite e de glúten permanecem em utensílios que depois serão utilizados com o objetivo de preparar outros alimentos.

Esse tipo de contaminação cruzada é especialmente alarmante para pessoas que possuem alergia a proteína do leite ou doentes celíacos. Então é indicado que essas pessoas não usem os mesmo utensílios.

Quer saber mais sobre contaminação cruzada? Basta acessar: O que é contaminação cruzada? Por que ela ocorre?

É possível evitar a contaminação cruzada?

Fique tranquilo, pois é sim possível evitar a contaminação cruzada! Quer saber como evitar da forma correta? Veja algumas dicas:

  • Sempre lave muito bem as mãos antes e depois de mexer com qualquer alimento, principalmente crus, como ovos, carnes, frutas, legumes e verduras;
  • Para impedir a contaminação cruzada indireta é importante lavar os utensílios, como facas e tábuas, tanto antes quanto depois de serem utilizados. Sendo assim, nunca use o mesmo utensílio sem lavar após ter manipulado alimentos crus;
  • Fique atento aos churrascos: É fundamental utilizar tábuas e facas diferentes para as carnes cruas e assadas;
  • Não faça saladas na mesma tábua que foi usada para contar carne crua sem que a mesma seja lavada corretamente;
  • Se possível, tenha tábuas diferentes em sua casa para cortar alimentos cozidos e crus;
  • Use solução de hipoclorito de sódio (saiba como preparar logo abaixo) para lavar e sanitizar os alimentos que serão comidos crus;
  • Guarde todos os alimentos crus sempre distante dos que já estão cozidos. Fique atento ao momento de descongelar carnes, frangos e peixes na geladeira: Deixe-os na parte inferior da geladeira e em recipientes que impeçam que o líquido do degelo atinja outros alimentos;
  • Utilize diferentes utensílios para manusear cada panela. Caso contrário, se você não possuir muito utensílios, lave bem com água e detergente ou sabão o utensílio sempre que terminar de manusear um alimento e for mexer o outro;
  • Tente não secar louças com panos. Mas, como assim? É isso mesmo! O correto é deixar a louça escorrendo e secando naturalmente no escorredor. Os guardanapos de pano são muito contaminantes;
  • Não se esqueça de que a contaminação cruzada pode acontecer também no próprio alimento. Sendo assim, antes de descascar e/ou cortas vegetais, legumes e frutas lave-os muito bem. Se isso não for feito, as bactérias que estavam na superfície do alimento podem ser transferidas para seu interior;
  • Sempre lave a pia com água e sabão ao final  de cada alimento. Você pode também finalizar com uma solução de água sanitária (aprenda como fazer isso a seguir);
  • Enfim, mas não menos importante, lembre-se de desinfetar a esponja da pia. Você verá no final do artigo quatro formas de fazer isso!

Formas de sanitizar a pia da cozinha

Primeiro de tudo você precisa higienizar a pia com água e detergente. Após isso, jogue a solução de água sanitária. Deixe agir por cerca de 10 minutos. Depois é só secar bem com a ajuda do rodinho de pia; não é preciso fazer o enxague.

Essa sanitização pode ser feita com um borrifador ou mesmo despeando sobre a pia. É claro que se for utilizado um borrifador é preciso que ele seja identificado e usado só para isso!

Preparo: 1 colher de sopa de água sanitária e 1 litro de água. Misture ambos.

Como desinfetar a esponja da pia?

Você sabia que algumas pesquisam mostram que a esponja de pia em geral fica mais contaminada do que o vaso sanitário? Isso mesmo! Por isso é recomendado que você a troque semanalmente ou que a desinfete todos os dias. Veja como fazer isso:

1 Coloque a esponja de molho e deixe por 15 minutos na solução de água sanitária igual a preparada para sanitizar a pia. Depois é só espremer e deixar secar naturalmente;

2 Ferva a esponja por mais ou menos 5 minutos, deixe esfriar e depois secar naturalmente;

3 Você pode colocar a esponja na máquina de lavar  junto com a louça. Depois é a mesma coisa: espremer e deixar secar naturalmente;

4 Deixe a esponja no micro-ondas por cerca de 2 minutos – depende da potência do seu aparelho. Depois deixe esfriar, esprema e espere secar. Se a esponja possuir partes metálicas não utilize esta técnica!

E os alimentos, como sanitizá-los?

Em relação aos alimentos, como as frutas e folhas precisam ser sanitizadas? O primeiro passo é sempre descartar aquelas folhas queimadas ou murchas e até mesmo as que ficam nas partes externas. As que serão consumidas precisam ser lavadas em água corrente. Uma e uma!

E as frutas? Precisa sempre tirar as cascas? A resposta é não! Você pode continuar comendo frutas com casca. Entretanto, é necessário lavá-las com uma escova ou esponja guardada só para esse fim.

Após esse procedimentos, tanto as frutas quanto as folhas devem ser mergulhadas por cerca de 15 minutos em uma solução clorada ou sanitizante. Você encontra o hipoclorito de sódio para ser utilizado em alimentos em supermercados. Na maioria das vezes na parte que vende hortifrúti.

Já a solução sanitizante que é feita com hipoclorito de sódio precisa ser preparada de acordo com a proporção dada pelo fabricante. A água sanitária pode ser utilizada se no rótulo estiver sinalizado que ela pode ser usada para higienizar alimentos.

Se puder ser usada, o recomendado é uma dosagem de 20 ml – por volta de 2 colheres de sopa – para 1 litro de água se o produto conter somente 1% de cloro ativo. Caso contenha 2% ou 2,5%, o ideal é 10 ml – uma colher de sopa – para cada litro de água.

Depois de realizar a sanitização é necessário lavar os alimentos com água filtrada a fim de retirar o excesso de cloro. Lembre-se: O vinagre não é um produto efetivo para a sanitização de alimentos!

Gostou das dicas? Vai fazer o mesmo? De já para evitar contaminação cruzada? Deixe nenhum comentário outras dúvidas e sugestões!

Escreva um comentário